Se você sofre com dores crônicas nas costas ou no pescoço e luta para conseguir adormecer, deve imaginar que a dor é o único motivo que o impede de dormir bem. Acontece que esta conexão é mais complexa do que podemos cogitar.

 

Aproximadamente dois terços das pessoas com dores crônicas apresentam algum tipo de distúrbio do sono, mas as pesquisas têm revelado que dor e insônia são recíprocas e podem coexistir.

Conviver com a dor na coluna é uma tarefa bastante difícil e quando é somada a um sono ruim, resulta numa baixa qualidade de vida.

Fique por dentro das dicas para evitar que isto aconteça e possíveis atitudes que podem reverter o problema ou pelo menos, proporcionar melhoras significativas.

 Você tem insônia ?

A insônia é o distúrbio do sono mais comum e geralmente mal interpretado. Primeiramente insônia não se trata apenas da dificuldade de adormecer, também é caracterizada por acordar no meio da noite. Ainda, não pode ser vista como um distúrbio isolado, mas sim um sintoma.

Para combater a insônia você precisa entender onde está a raiz do problema. Pesquisas apontam que em cerca de metade dos casos, ela é resultado de uma condição mental ou emocional, como ansiedade ou depressão (em ambos os casos é comum as pessoas apresentarem dores nas costas e no pescoço).

Um estudo de 2013 publicado no Journal of Orthopaedic Surgery (Hong Kong) descobriu que quase metade dos participantes do estudo tinham dor crônica nas costas e insônia.

Como parte das conclusões da equipe de pesquisa, eles recomendaram que a dor nas costas seja tratada precocemente para evitar complicações sérias da insônia. Acompanhamento médico é necessário na maioria dos casos, mas a mudança de hábitos diários pode corrigir problemas posturais e melhorar a qualidade do sono.

Crie um ambiente adequado 

 

Use seu quarto apenas para dormir. Assista televisão, leia, trabalhe e faça atividades em outras áreas de sua casa.

Espere até você estar com sono antes de ir para a cama. Se você não conseguir dormir em 20 minutos, vá para outra sala até sentir-se sonolento novamente.

Estabeleça um horário diário do sono, para deitar e também para acordar. Torne o seu ambiente do sono agradável. Uma hora antes da hora de dormir, deixe o quarto em meia luz, organizado, limpo e numa temperatura adequada. Escolha com consciência o colchão apropriado para proporcionar conforto e estabilidade para a coluna.

Colchões com terapias como a magnetoterapia, o infravermelho-longo e a energia bioquântica, ajudam a induzir ao sono profundo. Massageadores vibroterápicos também proporcionam um momento de relaxamento antes de dormir, além do alívio de dores.

Verifique também se você se adapta melhor a um colchão de molas ou espuma, e se o colchão escolhido está de acordo com o seu peso e medidas. Tão importante quanto a escolha do colchão é o tipo de travesseiro que você usa.

Leve em conta o material, altura e proteção contra bactérias e fungos. Por exemplo, se você dorme de lado, repare se o seu travesseiro proporciona o encaixe perfeito com a cabeça, para que a cervical acompanhe o alinhamento da coluna.

O tratamento anti-fungos e bactérias é extremamente importante para proteger as vias respiratórias que estão em contato direto com o travesseiro diariamente.

É possível solucionar este problema?

Se você já fez os ajustes mencionados acima para obter uma rotina do sono mais saudável e mesmo assim segue enfrentando problemas de dores ou insônia, há outras alternativas.

A dor nunca é só muscular, também é mental e emocional. Todos os espectros em que a dor se manifesta podem impedir uma boa noite de sono.

O uso da terapia comportamental para dor crônica por exemplo, tem mostrado resultados promissores, com relatos de sucesso em até 80% dos pacientes que realizaram o tratamento.

Além disso, uma revisão de 2014 em Annals of Internal Medicine relatou que, em média, as pessoas que passaram por terapia comportamental, dormiram quase 20 minutos mais rápido e passaram 30 minutos a menos acordados durante a noite, em comparação com aqueles que não usaram a terapia.

Se você luta com dor crônica converse com seu médico para buscar a melhor alternativa.

Algumas profissões exigem que o trabalho aconteça em turno noturno. Esta realidade é vivida por médicos, enfermeiras, motoristas de ônibus, porteiros, seguranças. É o caso do Marcelo Pereira, médico plantonista de 28 anos. Mas será que este fato não traz consequências para a saúde do sono do Marcelo e de todas as pessoas que acabam trocando a noite pelo o dia?

 

A rotina do Marcelo começa na madrugada para que consiga atender todas as enfermarias, que estão sempre lotadas.

Desde a hora em que chega no hospital até a hora de ir embora, as atividades não param.

E não é simples lidar com pessoas que estão passando por dificuldades, é preciso estar com disposição e atenção para conseguir exercer bem a sua função.

O atendimento médico vai além dos procedimentos necessários para cada caso que chega. É preciso conversar e ouvir as pessoas que estão doentes, seus parentes, prescrever receitas e solicitar exames.

Além de virar noites, Marcelo também trabalha nos finais de semana. Em casos de  emergência mesmo fora do seu horário padrão, precisa estar disponível.

O que acontece com a saúde?

Especialistas já tem provado que poucas horas de sono resultam na falta de regulação das capacidades cerebrais, estresse e maior probabilidade de doenças.

É o que sugere um estudo realizado pelo Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos.  Segundo a pesquisa, quando um indivíduo não descansa bem, os níveis de uma substância tóxica no cérebro aumentam, podendo causar doenças que prejudicam a memória.

Os resultados apontaram que após uma noite de privação de sono, os participantes apresentaram níveis muito altos de beta-amiloide, substância relacionada ao surgimento e desenvolvimento de Alzheimer.

E isso com a privação em um único dia! Imagina pessoas como o Marcelo, que encaram jornadas de trabalho superiores a 30 horas. Essa rotina exaustiva, comum para muitos médicos, produz fadiga e favorece o surgimento de erros, porque se torna difícil manter um bom desempenho profissional nestas condições.

Em alguns países desenvolvidos como os Estados Unidos e a Inglaterra, as discussões sobre a importância de obter mais horas de sono no caso dos médicos tem resultado em alterações nas jornadas de trabalho.

No Brasil ainda se fala pouco sobre esta problemática, mas é necessário começar a colocar em pauta, já que é realmente prejudicial para a saúde não obter as horas necessárias para o descanso diário.

Pelo menos um terço da vida passamos dormindo sobre um colchão.

Por isso, prestar atenção aonde você deita a noite é tão fundamental, principalmente  para evitar dores na coluna e problemas de saúde.

Observar qual o travesseiro e posição em que você dorme também se faz importante.

Peso, altura e o jeito de dormir de cada pessoa contam na hora de escolher um bom colchão e travesseiro.

Mas são tantas opções e marcas no mercado, que fica realmente confuso na hora de comprar.

Qual critério você usa:

Preço? Qualidade? Maciez?

 

O que você realmente precisa saber na hora de comprar um colchão

É importante você perceber as características que mais gosta no colchão: maciez, firmeza, altura, se prefere molas ou espuma.

Porque a escolha certa do colchão deve levar em conta as suas preferencias e necessidades. Peso, altura, temperatura do corpo, limitações físicas, tudo isso deve ser considerado para evitar que você acorde com dores.

O colchão ideal é aquele que proporciona conforto e fornece apoio para o corpo em diferentes posições. O colchão precisa estar de acordo com o tipo físico para acomodar o corpo e suportar o peso sem pressionar nenhum ponto.

Colchão duro para quem tem problema de coluna é mito. Se o colchão não proporciona o contorno do corpo, os pontos de contato ficam doloridos.

De forma geral podemos dividir o que há no mercado entre colchões macios e duros. O colchão duro demais deixa os músculos tensos e a coluna torta. O muito macio não dá sustentação para coluna e quadril.

Por isso o colchão ideal é o que apresenta a Ortopedia Inteligente, que dá estabilidade para a coluna sem abrir mão do conforto. Isto se dá por meio de camadas de espuma com densidades diferentes, que proporcionam a estabilidade necessária para a coluna, sem tirar o conforto.

Personalização

colchão ortopédico Cia Do Sono pode ser personalizado de acordo com o biotipo de cada um. Se você pesar mais que 90 kilos, por exemplo, um colchão de mola com uma camada espessa de espuma seria o mais apropriado pra você.

Ou em casos específicos como de fibromialgia, a melhor opção é acrescentar uma camada de espuma extra ao colchão, para obter o melhor conforto.

A maioria das lojas pautam a escolha do colchão para casal pelo peso de um deles. Este tipo de atitude faz com que a pessoa com o menor peso não tenha conforto e boas condições para descansar.

Se o casal tiver muita diferenças de peso, pode utilizar o Látex Natural, ou o Látex de PU (poliuretano). Mas caso busque um conforto mais personalizado, pode definir as diferentes densidades de espuma para cada lado.

Travesseiros

Um bom travesseiro é aquele que acomoda o seu pescoço deixando-o alinhado com a coluna. Travesseiros de baixa qualidade, muito altos ou muito baixos provocam dores de cabeça, problemas posturais e torcicolo. Para lhe proporcionar conforto geral, travesseiros mais firmes são extremamente benéficos.

Se você acha que tem um problema particularmente com a região lombar, utilizar um travesseiro de corpo é uma ótima sugestão para quem dorme de lado.

Para quem dorme de lado, que é a melhor posição para a coluna, o travesseiro Cervical Cia Do Sono é a opção ideal porque o formato dele acompanha a curvatura do pescoço criando o ângulo de 90 graus com a cervical.

Mesmo sabendo o que você procura e os elementos relevantes na hora da compra, fica difícil definir sozinho a densidade certa para o seu peso e altura.

Por isso é importante ter algum profissional para te orientar na hora da compra. Você pode obter maiores informações com um personal do sono treinado. Caso você não conheça um personal, procure auxílio em uma loja Cia Do Sono.

Será que a nossa cultura de vício em tecnologia e internet tornou impossível conseguir a perfeita noite de sono? 

 

De acordo com o NHS Choices, uma em cada três pessoas é afetada por insônia e aquelas que dormem menos de seis horas por noite, têm uma taxa de mortalidade maior. Um dos maiores motivos para isso é nossa dependência principalmente às inovações tecnológicas.

Há uma influência impressionante das redes sociais nas nossas vidas que dificultam muito o nosso desligamento na hora de dormir. Mas não devemos olhar para a tecnologia de forma totalmente negativa quando se trata de dormir. Nem tudo está perdido porque também podemos utilizá-la para obter melhoraras no sono.

Soluções em tecnologia do sono

A resposta está nos produtos que já possuem a tecnologia certa para proporcionar conforto, descanso, alívio de dores, rejuvenescimento, melhora na circulação sanguínea, correção postural. Há um fluxo cada vez maior na procura por novas alternativas que atuem diretamente na nossa condição física e bem-estar mental.

Existem dispositivos que são especialmente projetados para acalmar nossos sentidos e estimular nosso sistema interno a nos deixar sonolentos. Para isso são utilizados diferentes materiais que produzem efeitos variados, dependendo do que você deseja solucionar.

Magnetoterapia

Esta terapia vem sendo cada vez mais utilizada como uma ótima alternativa para quem tem uma lesão ou doença, pois proporciona melhora significativa e rápida da dor.

Os imãs são compostos de ligas metálicas, como ferro, níquel ou cobalto e por conta disso, atraem muitos tipos diferentes de partículas metálicas.

O sangue contém ferro e, quando os imãs terapêuticos são colocados na pele, o campo magnético penetra através da pele, dos tecidos circunvizinhos e da corrente sanguínea.

O ferro no sangue é atraído para o campo magnético, causando movimento dentro da corrente sanguínea e o aumento da atividade faz com que o fluxo sanguíneo melhore.

Quando ocorre o aumento do fluxo sanguíneo, na área onde os imãs são colocados, nutrientes e hormônios são distribuídos aos órgãos e tecidos com muito mais eficácia e rapidez.

Assim, os tecidos também ganham oxigênio, incluindo endorfinas (hormônio natural analgésico do corpo). Campos magnéticos também afetam a dispersão dos glóbulos vermelhos e a medida que as células se movem ao longo do sistema circulatório “captam” oxigênio e nutrientes.

Quando os ímãs são aplicados, essas células “se espalham”, dando-lhes mais espaço para realizar seus trabalhos. Isto significa mais oxigênio, entrega e remoção de nutrientes e mais energia.

Assim, a inflamação no corpo é aliviada e os danos causados ​​pelo processo inflamatório começam a ser reparados por um suprimento fresco e rico de oxigênio e nutrientes. As células que foram rompidas e desoxigenadas começam a cicatrizar, fazendo a regeneração tecidual, eliminando o excesso de líquido e toxinas.

O sistema circulatório retorna ao normal e o coração não precisa trabalhar tanto para bombear fluido extra ao redor do corpo. Os campos magnéticos estabilizarão todos esses processos e ajudarão o corpo em sua recuperação.

Infravermelho-longo

Vivemos numa época em que somos bombardeados por toxinas, herbicidas e pesticidas em nossos alimentos, produtos químicos adicionados à nossa água, para não mencionar a poluição industrial e medicamentos. Essas toxinas têm sido associadas a todas as dores de nossos corpos.

As propriedades benéficas do infravermelho longo receberam atenção especial da comunidade científica nos últimos anos, embora a primeira pesquisa realizada nesta parte do espectro de luz tenha sido realizada pela NASA há várias décadas.

 Os raios infravermelhos longo fazem parte do espectro de luz eletromagnética e estão próximos da frequência da luz natural do sol, que estimula a produção de vitamina D.

No entanto, o infravermelho longo não contém nenhuma radiação UV / UVB nociva da luz solar e provavelmente seja o tipo de radiação eletromagnética natural (REM) mais abundante em nosso mundo.

Estudos mais recentes mostram que ele estimula a produção de tecido celular saudável, o que pode promover processos de cura mais rápidos e mais completos.

A terapia com esta tecnologia também elimina resíduos e toxinas celulares, fazendo ressonância com as moléculas de água, melhorando a circulação e a condição da nossa saúde.

No seu processo de envelhecimento a água começa a se aglomerar, uma molécula se une a outra e forma uma estrutura chamada “clusters”. Com a ação do Infravermelho Longo, as moléculas de água vibram e quebram a cadeia molecular proporcionando melhor circulação.

Os produtos que contém infravermelho longo (colchões, travesseiros, pillow cervical e pulseira) oferecem relaxamento profundo, melhoram o sono, aumentam a resistência, proporcionam melhorias vasculares e uma sensação geral de bem-estar.

Terapia Bioquântica

Segundo a física quântica tudo na natureza é energia condensada, inclusive os seres humanos, então melhoramos e fortalecemos esta energia podemos ver resultados positivos no nosso corpo físico.

Porém, muitas vezes ocorrem interferências nas ondas de energia que acabam por prejudicar a ressonância do campo magnético dos átomos, gerando caos no organismo.

Esta interferência é produzida por moléculas de toxinas, ondas de rádio, ondas curtas, celulares ou pelo próprio homem, devido ao estresse, aos estados tensionais, emocionais, sedentarismo, desequilíbrios alimentares, etc. O resultado disso é uma alteração na nossa frequência.

Isto altera toda a nossa ressonância vibracional, nosso padrão quântico, e começa a nos “desestruturar”, a nos adoecer pouco a pouco. Assim, cansamos com facilidade, desenvolvemos problemas de sono, dores musculares e articulares frequentes.

Os produtos que oferecem a terapia bioquântica proporcionam ao corpo vibrações de frequência saudável, equilíbrio físico e energético. Também agem no sentido de restabelecer as desordens, mantendo o nosso organismo saudável por muito mais tempo, prevenindo e evitando a propagação de doenças.

Para dormir bem

No mundo e na sociedade atual que vive em ritmo acelerado as 24 horas do dia, nunca foi tão importante cuidar da quantidade do sono para ter uma boa saúde física e mental.

Com o uso de produtos que possuem tecnologia de auxílio ao sono, você pode encontrar a solução perfeita. Para obter mais informações sobre a gama de produtos Cia Do Sono, clique aqui:

https://www.ciadosono.com.br/loja

Insegurança? Crenças Limitantes? Uma vida “quase boa”?

Mude sua postura corporal e altere seus níveis hormonais, seu comportamento e até a forma de pensar.

Você já deve ter ouvido falar que a verdadeira mudança é a que ocorre de dentro para fora.

Quando você muda internamente, você muda a sua realidade, as pessoas à sua volta e obtém resultados diferentes. Esse olhar é positivo e traz uma perspectiva de protagonismo, já que temos a capacidade de criar nossas experiências.

Só que na prática muitas vezes essa mudança não ocorre. Uma pessoa tímida, que tem dificuldade de se comunicar, medo de falar em público, de arriscar, não consegue se sentir confiante. E este fato compromete muitos âmbitos da vida, no nível dos relacionamentos pessoais, profissionais e até mesmo a saúde.

O que Amy Cudd professora da Harvard Business School constatou, é que podemos começar a mudar de fora para dentro.

Por exemplo, se você ficar na postura do “super-homem” por 2 minutos você altera a sua química corporal, ganhando mais confiança.

Para comprovar esta constatação Amy e seus colegas de universidade, Harvard e Columbia,  fizeram uma pesquisa medindo os níveis de hormônios testosterona e cortisol de 42 pessoas que foram instruidas a ficar em posições de expansão ou contração.

Os níveis atingidos se assemelham aos do “macho alfa”, o perfil de líder de um bando.

Ainda, 86% tiveram coragem de arriscar, contra 60% dos participantes que ficaram em posições mais encolhidas. Segundo Amy Cuddy, “Mudando sua postura, você prepara seus sistemas mentais e psicológicos para enfrentar desafios e situações estressantes e pode aumentar sua confiança e melhorar.”

 

Referência:

 

Carolina S. Goulart

Uma boa postura corporal é mais importante do que se imagina. Além de evitar problemas sérios de coluna, a postura afeta a química corporal e até as suas crenças. Explicamos isto com mais detalhes em outro artigo “O Fim da ansiedade: conheça a postura corporal do sucesso”.

Acontece que os problemas posturais são cada vez mais comuns no mundo atual por inúmeras razões.

Até porque nos dias de hoje passamos muito tempo sentados, diante do computador, no celular, correndo contra o relógio, etc.

E para piorar quando vamos dormir deitamos em colchões inadequados, que ao invés de proporcionar um sono reparador, acentuam ainda mais os problemas na nossa coluna.

Por que devemos cuidar da coluna?

A coluna vertebral desempenha diversas funções fundamentais para que o nosso corpo funcione em harmonia.

Entre elas estão: o suporte do peso do corpo, a proteção da medula espinhal e dos nervos espinhais, a promoção de maior flexibilidade e locomoção.

Quando  há equilíbrio nas estruturas da coluna vertebral, o peso dos membros fica distribuído com equilíbrio e evita a sobrecarga de outras regiões do corpo.

Porém, quando há desequilíbrio na postura, começam a aparecer desvios que provocam o uso incorreto de outras articulações como os ombros, braços, quadris, joelhos e pés.

Quando o corpo busca compensações para nos manter em equilíbrio, começam a surgir o enrijecimento, encurtamento dos músculos, se acentuam as curvas que antes eram normais, etc.

A boa notícia é que, independentemente das causas de uma má postura, já existem maneiras de corrigir ou amenizar os danos e, com isso, evitar o agravamento dos males.

Vamos entender o que acontece e quais são os principais problemas que você pode evitar/tratar:

Hiperlordose

Escoliose ou atitude escoliótica

A escoliose é uma alteração na coluna que ocasiona a rotação e inclinação da vértebra.

Muitas vezes são observadas a olho nu curvaturas na coluna, naquele clássico exame de inclinação do tronco para frente, em que são observadas regiões de um lado da coluna mais salientes em relação ao outro.

Isto ocorre por causa de um hábito postural errado e uma reabilitação postural pode resolver. Resumindo a coluna fica parecendo um “S”.

Hipercifose

É um aumento da curvatura da coluna toráxica. Pessoas muito tímidas e altas, tendem a apresentar essa postura.

A hipercifose normalmente está relacionada a postura de ombros enrolados para frente e anteriorização da cabeça.

É bastante comum encontrar pessoas que tenham hipercifose com dor na cervical, porque a coluna forma um “C” acentuado.

Se a cabeça acompanhasse a coluna teria que olhar para o chão. Mas como é necessário olhar para frente, então os músculos posteriores da cervical trabalham excessivamente.

Retificação

É a diminuição significativa das curvaturas, ou seja, quando esse indivíduo é observado de perfil não existem as curvas normais da coluna.

Muito comum de acontecer na região cervical por muita atividade dos músculos posteriores, ou seja, você precisa urgentemente alongar muito e fortalecer posteriormente.

Provavelmente você tenha identificado que tem um desses problemas posturais, ou então que sente dor na coluna, afinal isto é bem comuns nos dias de hoje. Seja qual for o seu caso, você pode melhorar ou até se curar se você melhorar a sua postura e dormir bem.

Ajuste a postura

 

O uso de uma cinta terapêutica com magnetoterapia é ideal para corrigir a postura e estabilizar a coluna vertebral, além de ajudar na recuperação e tratamento de doenças na coluna.

Com ela você poderá relaxar a musculatura estressada e corrigir a postura da coluna vertebral.

Caso você trabalhe sentado, poderá utilizar um “drive ortopédico” na cadeira.

Ele alivia a tensão nas costas e membros inferiores, evitando câimbras e dores musculares.

 

Já se você sente dor, o uso diário de um “pillow cervical”, 10 minutos antes de dormir e ao acordar, te ajudará a ter alívio de dores na cervical e realinhamento postural.

Se a dor for acentuada, o “emplasto magnético” atua de maneira rápida e eficaz. Este é um produto desenvolvido para promover o equilíbrio, auxiliar no combate a dor, melhorar a circulação e o relaxamento muscular.

Durma bem

Escolha um colchão personalizado para o seu biotipo, que proporcione estabilidade para a coluna e conforto para as articulações.

Assim você terá um sono muito mais profundo e reparador, com menos desconfortos e dores ao acordar. E é claro, escolha um travesseiro com a máxima densidade de espuma para dormir com com a cervical alinhada. Além disso, não esqueça de dormir na posição correta: de lado.

Utilizar um travesseiro entre os joelhos para dormir, também colabora para corrigir a postura. Como você pode ver, existe tecnologia disponível para melhorar sua postura e ter acesso a uma qualidade de sono melhor.

Referência:

https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/educacao-fisica/coluna-e-seus-problemas-posturais/53898

 

A boa alimentação, os exercícios físicos e o sono são a base da pirâmide da qualidade de vida. Os três hábitos são vitais e devem se manter em equilíbrio, sem sacrificar um pelo outro. Comer mal e não se exercitar pode resultar em um sono sem qualidade, afetando todo o resto da sua vida. Exercitar o corpo proporciona um sono mais profundo e, consequentemente, mais reparador, como vimos nas páginas anteriores.

Durante os exercícios físicos, é liberada a endorfina, um neurotransmissor que atua como analgésico e que resulta na sensação de bem estar, que dá disposição e ajuda a aproveitar melhor o dia. Para o especialista em fisioterapia esportiva e fundador da Body Health, uma clínica de São Paulo especializada em saúde preventiva, Paulo Szego, a prática de atividade física nos ajuda a dormir melhor porque nos deixa mais cansados naturalmente.

Por isso, também, que os sedentários levam mais tempo para dormir: são em média dez minutos a mais dos que se exercitam regularmente. “O sedentarismo é uma das causas agravantes de vários acometimentos como obesidade, pressão alta, diabetes e problemas cardiorrespiratórios. Além disso, quem pratica atividade física com regularidade, dorme melhor e tem uma melhor qualidade de vida”, explica Szego. O fisioterapeuta ainda recomenda que os sedentários procurem um profissional antes de começar a praticar atividades físicas e, assim, ter menos riscos de lesões.

Porém, a prática de exercícios pode ter efeito contrário, caso não seja cuidado o horário que se costuma realizar o exercício. Segundo especialistas, a quantidade de endorfina que o corpo libera é maior pela manhã e ao longo do dia e, por isso, a disposição é maior. À noite, essa quantidade é menor, fazendo com que esse horário não seja o mais adequado. Mas, caso a noite seja o único momento que a pessoa tem para se exercitar, é preciso escolher atividades de menor intensidade. Atividades de muita intensidade aumentam a adrenalina no organismo, o que pode atrapalhar o sono. Um estudo do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein mostra que o ideal é realizar o exercício físico no mínimo quatro horas antes de dormir.

Quem já sofre algum distúrbio do sono, a recomendação é que se procure um especialista antes de começar a se exercitar. Dormir mal pode trazer vários problemas que impedem uma vida com qualidade, como cansaço durante o dia, sonolência e até falta de memória.

 

EXERCÍCIOS AJUDAM A DORMIR MELHOR E SER MAIS PRODUTIVO

 

Segundo a Organização Mundialda Saúde (OMS) é recomendado a prática de, no mínimo, meia hora de exercícios físicos em cinco dias na semana. “Se você realizar esse mínimo de atividade física, com certeza já vai sentir refletir na qualidade do sono”, pondera o fisioterapeuta do esporte, Paulo Szego. O número de dias e horas recomendados pela OMS foram confirmados em um estudo publicado na revista Mental Health and Physical Activity, que revelou que pessoas que praticam pelo menos 150 minutos de exercícios por semana dormem melhor e ficam mais alertas durante o dia do que aquelas que praticam pouco ou nenhum exercício.

Liderada por um pesquisador da Bellarmine University, nos Estados Unidos, a pesquisa contou com mais de 2.600 homens e mulheres com idades entre 18 e 85 anos. Os resultados mostraram que pessoas que praticavam essa quantidade de atividades físicas tinham uma melhora de 65% da qualidade do sono.

Elas também apresentaram um maior aproveitamento do dia em relação àquelas que praticavam menos exercícios ou nenhuma atividade. Os cientistas também comprovaram que a prática de exercícios ainda previne diversos problemas psicológicos e cardiovasculares.

 

Leia também: Empresa brasileira desenvolve colchão especial para praticantes regulares de atividades físicas. 

Paulo Szego reforça as recomendações da OMS e da pesquisa acrescentando que dormir bem – o que para a média signi ca de 7 a 8 horas por dia – também pode melhorar os efeitos do exercício físico, já que o metabolismo funciona melhor após uma boa noite de sono. Com isso, a pessoa pode perder mais gordura e ter mais precisão nos movimentos. “Quem dorme bem, acorda mais disposto e isso reflete em tudo no seu dia. A pessoa se relaciona melhor, fica mais animada e também mais disposta para a realização de exercícios”, diz Paulo Szego.

O professor universitário e dentista, Guilherme Anziliero Arossi se considerava um sedentário até pouco tempo. A busca por uma melhor qualidade de vida o levou à prática de exercícios físicos. Alguns meses depois de encarar a musculação cerca de três vezes por semana, Arossi já notou mais disposição, sensação de bem-estar, melhora do humor e redução de dores por má postura. “A oxigenação dos tecidos e a liberação de endorfinas proporcionam uma sensação de bem-estar no praticante de atividade física. Além disso, o fortalecimento muscular faz com que nosso corpo consiga se manter sem dor por mais tempo frente à má postura que invariavelmente nossas atividades diárias nos expõe”, relata ele.

 

QUAIS OS EXERCÍCIOS MAIS INDICADOS

Na hora de escolher uma atividade física que pode ajudar na hora do sono as que se destacam são as que trabalham o alongamento e a exibilidade muscular, como ioga e tai chi chuan. Esse tipo de exercício, com movimentos suaves, além de tranquilizar, diminui a tensão muscular, a dor e a fadiga. Já os exercícios aeróbicos como a corrida, o ciclismo e a natação, por exemplo, garantem o condicionamento do sistema cardiorrespiratório e, com isso, podem diminuir as chances de apneia – uma parada repetida e temporária da respiração durante o sono. O problema é normalmente associado ao ronco.

O exercício físico, nesses casos, também ajudará a controlar o peso, uma vez que geralmente quem sofre de apneia tem obesidade. As pessoas que tem o sono cortado também podem fazer dos exercícios um aliado do sono. Isso porque as atividades físicas ajudam a aumentar a quantidade de sono profundo e diminuem o número de despertares e de vigília durante a noite. Para quem é sedentário e está começando a fazer atividade física, a melhor opção é a caminhada leve. Uma simples caminhada é muito fácil de se fazer e pode ajudar a prevenir e tratar diversas doenças. Além da melhora do condicionamento físico, as vantagens de caminhar para a saúde do corpo e da mente são muitas, e comprovadas pela ciência (veja quadro).

Já a corrida é indicada para pessoas que têm aptidão e um maior condicionamento físico. Quem sente dor, por exemplo, deve optar pela caminhada, já que a corrida oferece grande impacto e pode agravar a lesão. Para as pessoas que pretendem apenas se tornarem mais ativas, a caminhada simples e leve já é su ciente. No entanto, se o objetivo for emagrecer ou competir, por exemplo, é melhor optar pela corrida. Com o passar do tempo, os sedentários que começaram caminhando já podem se arriscar, aos poucos, a correr, aumentando a velocidade gradativamente.