Para muitos de nós dormir poucas horas já virou parte da rotina. Justificamos este fato com a nossa profissão, falta de tempo, stress…

Com certeza estes fatores influenciam diretamente na nossa vida, dificultando muitas vezes a nossa organização das atividades.

Porém, juntamente com a alimentação e prática de exercícios físicos, o sono deveria ser prioridade na nossa agenda diária.

Já se perguntou por quanto tempo você consegue seguir com uma baixa qualidade de sono sem consequências perigosas para a saúde?

 

O sono saudável é fundamental para todos, já que precisamos reter informações, aprender habilidades, renovar as energias.

Esta é provavelmente a principal razão pela qual crianças adquirem habilidades linguísticas, sociais e motoras num ritmo acelerado e por isso, precisam de mais horas de sono que os adultos.

Por exemplo, enquanto um adulto precisa de aproximadamente 7 a 9 horas de sono por noite, uma criança de 1 ano de idade precisa em média 11 a 14 horas de sono, bem como um adolescente entre 10 e 14 anos.

Durante esses períodos críticos de crescimento e aprendizado, os jovens precisam de uma dose pesada de sono para um bom desenvolvimento e atenção.

O problema de perder horas de sono é que não é possível recuperá-las. Você até pode compensar um pouco com alguns cochilos fora de hora. No entanto, os melhores hábitos de sono são formados por rotinas consistentes, que criam as condições apropriadas para um bom descanso.

 

No site “National Sleep Foundation” foi feita uma pesquisa para saber quais são os elementos mais importantes para se ter uma noite de sono saudável.

 

Aproximadamente 9 de 10 entrevistados, classificaram como os principais fatores para dormir bem:

Colchão confortável (93%)

Travesseiro confortável (91%)

Sensação confortável de lençóis e roupas de cama (86%)

Quarto tranquilo (74%)

Quarto escuro (73%)

Temperatura ambiente fresco (67%)

Quarto limpo (62%)

Mas afinal o que acontece com o seu corpo se você dorme mal?

Em primeiro lugar os níveis do hormônio do estresse “cortisol” começam a aumentar ocasionando sintomas como: aumento de peso, aumento da pressão arterial, perda de massa óssea e muscular, alterações de humor, depressão, cansaço, insônia, perdas de memória, dificuldade de concentração e aprendizagem, diminuição da libido, menstruação irregular, entre outros.

Dormir mal também pode causar comprometimento cognitivo, ou seja, interfere no julgamento, memória comunicação e coordenação:

“Dependendo da duração da privação de sono, aproximadamente 80% das pessoas normais na população acabarão tendo alucinações”. Brandon Peters, Neurologista

Se uma pessoa ficar 2 dias sem dormir, por exemplo, tem o seu metabolismo reduzido, ou seja, diminui sua capacidade de metabolizar glicose corretamente. Isto pode ocasionar um aumento de peso e até mesmo, o surgimento de doenças como a diabetes. Estes são sinais que o corpo começa a dar para te avisar que você precisa descansar.