Posts

Será que a nossa cultura de vício em tecnologia e internet tornou impossível conseguir a perfeita noite de sono? 

 

De acordo com o NHS Choices, uma em cada três pessoas é afetada por insônia e aquelas que dormem menos de seis horas por noite, têm uma taxa de mortalidade maior. Um dos maiores motivos para isso é nossa dependência principalmente às inovações tecnológicas.

Há uma influência impressionante das redes sociais nas nossas vidas que dificultam muito o nosso desligamento na hora de dormir. Mas não devemos olhar para a tecnologia de forma totalmente negativa quando se trata de dormir. Nem tudo está perdido porque também podemos utilizá-la para obter melhoraras no sono.

Soluções em tecnologia do sono

A resposta está nos produtos que já possuem a tecnologia certa para proporcionar conforto, descanso, alívio de dores, rejuvenescimento, melhora na circulação sanguínea, correção postural. Há um fluxo cada vez maior na procura por novas alternativas que atuem diretamente na nossa condição física e bem-estar mental.

Existem dispositivos que são especialmente projetados para acalmar nossos sentidos e estimular nosso sistema interno a nos deixar sonolentos. Para isso são utilizados diferentes materiais que produzem efeitos variados, dependendo do que você deseja solucionar.

Magnetoterapia

Esta terapia vem sendo cada vez mais utilizada como uma ótima alternativa para quem tem uma lesão ou doença, pois proporciona melhora significativa e rápida da dor.

Os imãs são compostos de ligas metálicas, como ferro, níquel ou cobalto e por conta disso, atraem muitos tipos diferentes de partículas metálicas.

O sangue contém ferro e, quando os imãs terapêuticos são colocados na pele, o campo magnético penetra através da pele, dos tecidos circunvizinhos e da corrente sanguínea.

O ferro no sangue é atraído para o campo magnético, causando movimento dentro da corrente sanguínea e o aumento da atividade faz com que o fluxo sanguíneo melhore.

Quando ocorre o aumento do fluxo sanguíneo, na área onde os imãs são colocados, nutrientes e hormônios são distribuídos aos órgãos e tecidos com muito mais eficácia e rapidez.

Assim, os tecidos também ganham oxigênio, incluindo endorfinas (hormônio natural analgésico do corpo). Campos magnéticos também afetam a dispersão dos glóbulos vermelhos e a medida que as células se movem ao longo do sistema circulatório “captam” oxigênio e nutrientes.

Quando os ímãs são aplicados, essas células “se espalham”, dando-lhes mais espaço para realizar seus trabalhos. Isto significa mais oxigênio, entrega e remoção de nutrientes e mais energia.

Assim, a inflamação no corpo é aliviada e os danos causados ​​pelo processo inflamatório começam a ser reparados por um suprimento fresco e rico de oxigênio e nutrientes. As células que foram rompidas e desoxigenadas começam a cicatrizar, fazendo a regeneração tecidual, eliminando o excesso de líquido e toxinas.

O sistema circulatório retorna ao normal e o coração não precisa trabalhar tanto para bombear fluido extra ao redor do corpo. Os campos magnéticos estabilizarão todos esses processos e ajudarão o corpo em sua recuperação.

Infravermelho-longo

Vivemos numa época em que somos bombardeados por toxinas, herbicidas e pesticidas em nossos alimentos, produtos químicos adicionados à nossa água, para não mencionar a poluição industrial e medicamentos. Essas toxinas têm sido associadas a todas as dores de nossos corpos.

As propriedades benéficas do infravermelho longo receberam atenção especial da comunidade científica nos últimos anos, embora a primeira pesquisa realizada nesta parte do espectro de luz tenha sido realizada pela NASA há várias décadas.

 Os raios infravermelhos longo fazem parte do espectro de luz eletromagnética e estão próximos da frequência da luz natural do sol, que estimula a produção de vitamina D.

No entanto, o infravermelho longo não contém nenhuma radiação UV / UVB nociva da luz solar e provavelmente seja o tipo de radiação eletromagnética natural (REM) mais abundante em nosso mundo.

Estudos mais recentes mostram que ele estimula a produção de tecido celular saudável, o que pode promover processos de cura mais rápidos e mais completos.

A terapia com esta tecnologia também elimina resíduos e toxinas celulares, fazendo ressonância com as moléculas de água, melhorando a circulação e a condição da nossa saúde.

No seu processo de envelhecimento a água começa a se aglomerar, uma molécula se une a outra e forma uma estrutura chamada “clusters”. Com a ação do Infravermelho Longo, as moléculas de água vibram e quebram a cadeia molecular proporcionando melhor circulação.

Os produtos que contém infravermelho longo (colchões, travesseiros, pillow cervical e pulseira) oferecem relaxamento profundo, melhoram o sono, aumentam a resistência, proporcionam melhorias vasculares e uma sensação geral de bem-estar.

Terapia Bioquântica

Segundo a física quântica tudo na natureza é energia condensada, inclusive os seres humanos, então melhoramos e fortalecemos esta energia podemos ver resultados positivos no nosso corpo físico.

Porém, muitas vezes ocorrem interferências nas ondas de energia que acabam por prejudicar a ressonância do campo magnético dos átomos, gerando caos no organismo.

Esta interferência é produzida por moléculas de toxinas, ondas de rádio, ondas curtas, celulares ou pelo próprio homem, devido ao estresse, aos estados tensionais, emocionais, sedentarismo, desequilíbrios alimentares, etc. O resultado disso é uma alteração na nossa frequência.

Isto altera toda a nossa ressonância vibracional, nosso padrão quântico, e começa a nos “desestruturar”, a nos adoecer pouco a pouco. Assim, cansamos com facilidade, desenvolvemos problemas de sono, dores musculares e articulares frequentes.

Os produtos que oferecem a terapia bioquântica proporcionam ao corpo vibrações de frequência saudável, equilíbrio físico e energético. Também agem no sentido de restabelecer as desordens, mantendo o nosso organismo saudável por muito mais tempo, prevenindo e evitando a propagação de doenças.

Para dormir bem

No mundo e na sociedade atual que vive em ritmo acelerado as 24 horas do dia, nunca foi tão importante cuidar da quantidade do sono para ter uma boa saúde física e mental.

Com o uso de produtos que possuem tecnologia de auxílio ao sono, você pode encontrar a solução perfeita. Para obter mais informações sobre a gama de produtos Cia Do Sono, clique aqui:

https://www.ciadosono.com.br/loja

 

A boa alimentação, os exercícios físicos e o sono são a base da pirâmide da qualidade de vida. Os três hábitos são vitais e devem se manter em equilíbrio, sem sacrificar um pelo outro. Comer mal e não se exercitar pode resultar em um sono sem qualidade, afetando todo o resto da sua vida. Exercitar o corpo proporciona um sono mais profundo e, consequentemente, mais reparador, como vimos nas páginas anteriores.

Durante os exercícios físicos, é liberada a endorfina, um neurotransmissor que atua como analgésico e que resulta na sensação de bem estar, que dá disposição e ajuda a aproveitar melhor o dia. Para o especialista em fisioterapia esportiva e fundador da Body Health, uma clínica de São Paulo especializada em saúde preventiva, Paulo Szego, a prática de atividade física nos ajuda a dormir melhor porque nos deixa mais cansados naturalmente.

Por isso, também, que os sedentários levam mais tempo para dormir: são em média dez minutos a mais dos que se exercitam regularmente. “O sedentarismo é uma das causas agravantes de vários acometimentos como obesidade, pressão alta, diabetes e problemas cardiorrespiratórios. Além disso, quem pratica atividade física com regularidade, dorme melhor e tem uma melhor qualidade de vida”, explica Szego. O fisioterapeuta ainda recomenda que os sedentários procurem um profissional antes de começar a praticar atividades físicas e, assim, ter menos riscos de lesões.

Porém, a prática de exercícios pode ter efeito contrário, caso não seja cuidado o horário que se costuma realizar o exercício. Segundo especialistas, a quantidade de endorfina que o corpo libera é maior pela manhã e ao longo do dia e, por isso, a disposição é maior. À noite, essa quantidade é menor, fazendo com que esse horário não seja o mais adequado. Mas, caso a noite seja o único momento que a pessoa tem para se exercitar, é preciso escolher atividades de menor intensidade. Atividades de muita intensidade aumentam a adrenalina no organismo, o que pode atrapalhar o sono. Um estudo do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa do Hospital Albert Einstein mostra que o ideal é realizar o exercício físico no mínimo quatro horas antes de dormir.

Quem já sofre algum distúrbio do sono, a recomendação é que se procure um especialista antes de começar a se exercitar. Dormir mal pode trazer vários problemas que impedem uma vida com qualidade, como cansaço durante o dia, sonolência e até falta de memória.

 

EXERCÍCIOS AJUDAM A DORMIR MELHOR E SER MAIS PRODUTIVO

 

Segundo a Organização Mundialda Saúde (OMS) é recomendado a prática de, no mínimo, meia hora de exercícios físicos em cinco dias na semana. “Se você realizar esse mínimo de atividade física, com certeza já vai sentir refletir na qualidade do sono”, pondera o fisioterapeuta do esporte, Paulo Szego. O número de dias e horas recomendados pela OMS foram confirmados em um estudo publicado na revista Mental Health and Physical Activity, que revelou que pessoas que praticam pelo menos 150 minutos de exercícios por semana dormem melhor e ficam mais alertas durante o dia do que aquelas que praticam pouco ou nenhum exercício.

Liderada por um pesquisador da Bellarmine University, nos Estados Unidos, a pesquisa contou com mais de 2.600 homens e mulheres com idades entre 18 e 85 anos. Os resultados mostraram que pessoas que praticavam essa quantidade de atividades físicas tinham uma melhora de 65% da qualidade do sono.

Elas também apresentaram um maior aproveitamento do dia em relação àquelas que praticavam menos exercícios ou nenhuma atividade. Os cientistas também comprovaram que a prática de exercícios ainda previne diversos problemas psicológicos e cardiovasculares.

 

Leia também: Empresa brasileira desenvolve colchão especial para praticantes regulares de atividades físicas. 

Paulo Szego reforça as recomendações da OMS e da pesquisa acrescentando que dormir bem – o que para a média signi ca de 7 a 8 horas por dia – também pode melhorar os efeitos do exercício físico, já que o metabolismo funciona melhor após uma boa noite de sono. Com isso, a pessoa pode perder mais gordura e ter mais precisão nos movimentos. “Quem dorme bem, acorda mais disposto e isso reflete em tudo no seu dia. A pessoa se relaciona melhor, fica mais animada e também mais disposta para a realização de exercícios”, diz Paulo Szego.

O professor universitário e dentista, Guilherme Anziliero Arossi se considerava um sedentário até pouco tempo. A busca por uma melhor qualidade de vida o levou à prática de exercícios físicos. Alguns meses depois de encarar a musculação cerca de três vezes por semana, Arossi já notou mais disposição, sensação de bem-estar, melhora do humor e redução de dores por má postura. “A oxigenação dos tecidos e a liberação de endorfinas proporcionam uma sensação de bem-estar no praticante de atividade física. Além disso, o fortalecimento muscular faz com que nosso corpo consiga se manter sem dor por mais tempo frente à má postura que invariavelmente nossas atividades diárias nos expõe”, relata ele.

 

QUAIS OS EXERCÍCIOS MAIS INDICADOS

Na hora de escolher uma atividade física que pode ajudar na hora do sono as que se destacam são as que trabalham o alongamento e a exibilidade muscular, como ioga e tai chi chuan. Esse tipo de exercício, com movimentos suaves, além de tranquilizar, diminui a tensão muscular, a dor e a fadiga. Já os exercícios aeróbicos como a corrida, o ciclismo e a natação, por exemplo, garantem o condicionamento do sistema cardiorrespiratório e, com isso, podem diminuir as chances de apneia – uma parada repetida e temporária da respiração durante o sono. O problema é normalmente associado ao ronco.

O exercício físico, nesses casos, também ajudará a controlar o peso, uma vez que geralmente quem sofre de apneia tem obesidade. As pessoas que tem o sono cortado também podem fazer dos exercícios um aliado do sono. Isso porque as atividades físicas ajudam a aumentar a quantidade de sono profundo e diminuem o número de despertares e de vigília durante a noite. Para quem é sedentário e está começando a fazer atividade física, a melhor opção é a caminhada leve. Uma simples caminhada é muito fácil de se fazer e pode ajudar a prevenir e tratar diversas doenças. Além da melhora do condicionamento físico, as vantagens de caminhar para a saúde do corpo e da mente são muitas, e comprovadas pela ciência (veja quadro).

Já a corrida é indicada para pessoas que têm aptidão e um maior condicionamento físico. Quem sente dor, por exemplo, deve optar pela caminhada, já que a corrida oferece grande impacto e pode agravar a lesão. Para as pessoas que pretendem apenas se tornarem mais ativas, a caminhada simples e leve já é su ciente. No entanto, se o objetivo for emagrecer ou competir, por exemplo, é melhor optar pela corrida. Com o passar do tempo, os sedentários que começaram caminhando já podem se arriscar, aos poucos, a correr, aumentando a velocidade gradativamente.